Tuesday, November 06, 2007

Perto... Longe...

Cada passo dado, a cada momento,
Marca a definição do meu lugar,
Mais perto do meu céu de sentimento,
Mais longe da ilusão do teu olhar.

Longe do que perdi para me encontrar,
Perto das águas do meu pensamento,
Cada momento ensina a recordar
Os silêncios que fugiram no vento.

Cada instante de sonho e de ventura,
Entre sombras de mágoa e de amargura,
Marca o destino de quanto foi meu.

Mais perto do silêncio que magoa,
Perto da escuridão que não perdoa…
Mais longe da vida que, em mim, morreu.

9 comments:

Maria Clarinda said...

"...Cada instante de sonho e de ventura,
Entre sombras de mágoa e de amargura,
Marca o destino de quanto foi meu.

Mais perto do silêncio que magoa,
Perto da escuridão que não perdoa…
Mais longe da vida que, em mim, morreu"


Adorei o teu poema.Mas não mates a vida em Ti.
Um jinho

Fátima said...

Olá amiga,

Cada passo que damos perto... mais longe chega o nosso sentir!

Muito Bom!

:-) Beijinhos

Vieira Calado said...

Olhe amiga,
gostei do deu poema!

Luadosul said...

Encuentro tus escritos muy dulces dentro de ese amargor que se destila del alma misma!
Muito bonito menina!
Beijo

Alice said...

Lindo, profundo e quase triste.... adoro ler-te !!

bjus para ti.

Palavras ao vento said...

Belíssimo soneto minha querida!

Soltas o teu grito de poetisa... a tua essência lavrada em palavras...

Parabens!

Beijinhos

Oliver Pickwick said...

Continuando gostando deste blog intimista, e da sua atmosfera gótica. Das poesias de amores melancólicos, às vezes quase-trágicos, contudo, rigorosamente marcados pelo equilíbrio.
Um beijo, e tenha a melhor das semanas.

DRACULEA Café Bar - The Devil's Den said...

Sem mais rodeios: uma das melhores poetisas vivas que já conhecemos.

Parabéns pelo teu dom.

†Jessika† said...

Nasceu para isso,

Parabéns .